sábado, 14 de maio de 2011

CARTA A JOSÉ ( I V ) Os apóstolos do teu descontentamento.










Caro ZÉ
Espero que te encontres bem de saúde na companhia de quem mais desejares.
Hoje sábado, prometo-te não te tirar muito tempo. Mereces um repouso, depois de tanta canseira, na maratona de que te falei ontem. Como guerreiro que és, merece-lo mais ainda...
Não sei se estarás por cá ou por "lá". Deves dizer para contigo..."mas como é que este tipo, sabe que eu repouso e leio e projecto, e reflicto, no Pine Clifs ???   Zé, cuidado, tudo se sabe!!! Eles andam aí e no mais pequeno deslize saltam-te em cima como soi dizer-se "como gatos a bofes". Cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém....e que belas galinhas aquelas lá de Vilar de Maçada!!! Dessas sim... aquilo é que era carne gostosa, sem hormonas e essas porcarias todas que agoram são uso. Aquelas lá de Vilar era só a poder de milho e sêmeas: Lembras-te??
Bom, olha... eu ontem fiquei mais maluco que anteontem. Parece que estou a piorar. Queira Deus que no 5 de Junho a cabeça não me dê para o disparate.
Mas sabes Zé, não se aguenta com aqueles dois profetas, sim... o Pedro e o Paulo. Ora, um homem não é de ferro, o Povo é sereno eu bem sei, mas puxa, não dá pra ver aqueles dois, a dividirem o Reino ao meio... Como se tu já não existisses. È preciso ter lata não achas? Se bem calhar nem ligaste ao assunto, pensaste (e bem, como é teu costume), pra quê estares a incomodar-te com semelhantes ignorâncias. Se assim foi, fizeste bem, aliás ... fizeste muito bem. Mas repara que o arrojo dos "rapazes" foi demais. Olha que até admitiam 20% para um e 23% para o outro; depois o da esquerda, estava com o sorrizinho do costume, confesso que até o faz simpático, mesmo até ..."doce"... talvez de alguma influência anterior. Coisas de jovens. E então acabou por confessar que contaria sempre com o outro, em qualquer circunstância ou resultado. Chiça ZÉ !!! E tu??? Estes gajos pensam que andas a dormir??? Hoje pela manhã, até me ri sózinho, ehehheeheh. Lixaste-os bem, Zé, devem ter ficado com uma cabeçorra. A sondagem hoje, indica logo quem manda, que é para eles se acalmarem... Ès tramado Zé! O que tu consegues acho que nem Deus... ou talvez não. Mas tu, acredita, estás logo abaixo do Filho, logo...logo. E não são estes apóstolozitos que te vêm agora enzucrinar a tua prodigiosa cabecinha. Ai isso não!
Olha Zé, hoje é dia de descanso e tu deves ter mais "salsifré" por esse País fora. Faz boa viagem e sucessos. Se decidires ficar por lá, escreve. Não te preocupes connosco, como é teu lusitano e fofo hábito. Fica, não te rales que a gente cá se há-de desenrascar sem ti... com dificuldades eu sei, mas que se lixe....também não se pode ter tudo.
Aceita um Xi muito apertado, deste que te estima e muito te deve

Sempre teu, ou melhor dizendo "TOTUS TUUS"
António Ventura
14 de Maio 2011

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Carta a José (I I I )

Caro José
Nunca duvides, eu não falho !!!
Consta-me que andas aborrecido e que já nem paciência tens para me ler. Eu sei que é chato, mas tem paciência, afinal só faltam 23 dias, vais ver que passam depressa.
Sabes, hoje pela manhã comecei por me indignar por aquelas asneiradas do imbecil do Olli Ilmari Rehn, sim…aquele tipo que tem a mania que manda nos euros “para aqui e para acolá”, esse mesmo!!!
Como compreenderás José, tudo tem a ver contigo (ou não fosse). O “rapaz” insultou o outro Senhor que vive ali ao lado do antigo Museu dos Coches e tu… nada!!! Esse, por mais “apagado”, de vez em quando lá vai dizendo umas coisas, mas tu nunca o defendes. És tramado! Já há tempos tinha sido aquele lá da Republica Checa, a desancar o pobre sobre a dimensão da nossa dívida externa. Agora é este “branquinho luzidio” deste Olli . Por amor da Santa, José !!! Estes gajos não têm respeito nenhum, tu como bom tesoureiro, não podes ser bom em tudo, claro está, não podes estar a controlar as contas, é bem de ver. Para isso temos TOC´s , que outrora se chamavam “guarda-livros” e não precisavam nenhuma Ordem para andarem alinhadinhos. E nós temos um, ele sabe que o estimo também. Fui até eu que já nos idos de 85 o promovi a tal lugar…
Mas este Olli,… deixa-me dizer-te…foi demais, foi longe demais foi o que foi. Como é que semelhante  faetonte pretende que está farto de usar de imaginação para te aturar???
É imperdoável, este arrojo. Como é que um simples mortal, mas qual filho de Hélio se permite lançar tamanha atoarda? Quem é que ele pensa que tu és?? Quem é que ele se julga??
Fica claro que a imaginação a que o Rehn se referia, não era aquela que tu, labutadora e tenazmente tens ido descobrir ao cú de Judas, para nos tornar felizes a todos. Era a imaginação que o TOC (de Belém…) falava como uma peregrina ideia para te ajudarem a levar o “barco a bom porto”. Para ti, acho que nem a cruz ao Calvário serás capaz…mas enfim, não é para isso que te escrevo.
José, ao longo deste tempo todo, em que convivemos de forma salutar, sempre fui dizendo umas coisas, tentando ver se “lá ias”, …mas não, és um teimoso….foi um fracasso. Porra!!! Não ouves ninguém!!!
Imaginação porque é disso que se fala, só a demonstraste ultimamente.
Tal como Faetonte, lembras-te???... o filho de Hélio e da ninfa Climene, ao perceberes que não podes guiar semelhante “carruagem do (teu) Sol” através dos céus, perdes o controle das bestas, aproximas-te de nós e quase deixas que se incendeie. Para nos poupar da destruição que o embate causará, talvez só um raio enviado por Zeus, possa resolver. A menos que te emendes…o que, francamente não acho crível!!!
Não te preocupes no entanto. Sei que estás bem, um pouco farto compreende-se, mas ainda te resta fôlego para a última jornada, a maratona que começaste antes de todos e vais sempre dizendo que o tiro já tinha soado antes…
Lembras-te daquele rapaz, o Miguel??? Sabes que, não morrendo de amores por ti, acabou por te defender e ao PR ??? Nem imaginas…deu uma “desanca” no Olli lá em Estrasburgo, sobre a “imaginação”… Olha que lhe disse das boas, “Por favor demita-se, senhor comissário; a Europa agradece”. Chamou-lhe “governador colonial”, pelo comportamento em relação a Portugal, e mais… sabendo como levas a sério o próximo 5 de Junho, descascou-lhe com força, que isso não se faz, patati…patatá…, que estamos a três semanas de eleições e arrogâncias daquelas não se podem consentir. Olha Zé, foi mesmo firme e hirto o Miguel !!!
Sabes, depois concluí que afinal, tomates mesmo a sério, não se vendem no Armani ou no Prada. Casca grossa parece, o rapaz, mas digo-te que é de boas famílias, garanto-te.
Agora, Zé… pah, não sei que mais te diga…
As coisas complicam-se e tu sabes…
Vê bem que até o pessoal do bivaque já se rebela e te afronta!!! À cautela, toma cuidado com esses. Há sempre a possibilidade de também ires na Chaimite, eheheehehe.
Comigo, não te preocupes, aliás como vens fazendo há muito tempo, deste sempre é que é.
Digo-te fraternalmente, o mesmo que o Miguel disse ao Olli… “pisga-te daqui pra fora, desampara-me a loja”, ninguém te vai impedir ou ter saudades.

Carinhosamente
António Ventura
13 de Maio de 20111
Dia da Padroeira


PS: Não te preocupes, amanhã cá estarei como combinado. Amofina-te com os pentelhos do costume e deixa o resto com o pessoal…

Carta a José ( II )

Caro José,
Hoje, cá estou eu de novo. Como prometi. Não sei se compreenderás, mas eu uso muito aqueles termos antigos, e normalmente até procuro acreditar que fazem todo o sentido. Como tal, “o prometido é devido”, e por isso cá estou a dar-te a maçada de me leres. Será que entendes???...
Tu, que tanto me tens prometido… ganda maroto, (desculpa o adjectivo, mas não é por mal…é uma brincadeirinha fofa em te tratar assim…) e sempre te esqueces de cumprir, ahahahaahah !!! José, tu és mesmo terrível,…maroto, quer dizer, malicioso, lascivo, finório, tratante…espertalhão.
Sabes que às vezes, para me esquecer de ti por alguns momentos, vou até à Bahia e lá, na época da Independência, “maroto” , era o que chamavam aos Portugueses. Tens portanto, sangue lusitano, disso não tenho a menor dúvida. Não será sangue do “melhor”, mas corre na mesma. Que Diabo, também não podes ter todas as qualidades, não é???
Desculpa lá a seca que te dou. Sabes que sendo tu um “europeísta convicto”, cioso dos propósitos e desígnios desta tão solidária U.E., sendo tu fluente nessas línguas todas, para te entenderes tão bem, com os teus parceiros, tenho a certeza que já ouviste alguns termos parecidos com o “maroto”. Puxa pela cabeça e diz-me, em Bona ou em Bruxelas, onde tratas o pessoal “tu cá…tu lá”, nunca ouviste, “salaud” , ou “vilain” ; “schunft”, ou “schelmisch”, ou  “pillo” ou “mascalzone”…? Pois é, podem ser “brincadeirinhas” também dos teus amigos, Sarko, ou Berlusquy ou mesmo da tua amiga Ângela. Mas, olha…não te rales, quer tudo dizer o mesmo. Ès tu mesmo e tenho a certeza que não ligas a isso, “naughty boy…sacré José !!!
Sabes que fiquei muito apreensivo com aquele tipo do Financial Times. Um descarado é o que ele é. Parece mentira o que saiu daquela conspurcada pena, para dar aquele artigozito, ofensivo claro está. À tua honra e dignidade, revelador de grande ignorância de um despudorado que não conhece, nem entenderia tudo o que tens feito por nós todos, nos últimos 15 anos e que muito nos tem sensibilizado.
Olha José, acho que já não se pode confiar em ninguém!!!
Segue o meu conselho, desculpa o mau jeito ou incómodo que isso te possa causar, sei que te vou magoar, mas sentimentos…são sentimentos e, mais uma vez à antiga, lá diz o ditado, “quem não se sente, não é filho de boa gente”.
E eu… dos meus ascendentes só tenho saudade, memória e respeito. Eram boa gente !!!
Talvez só por influência daquele desbocado do Wolfgang Munchau, do FT, acho que já não confio em ti.
Abraços e até amanhã
Teu, António Ventura
12 de Maio de 20111

PS: Não tem nada a ver com o PS, foi só para dizer que esta carta, é escrita em memória de meu saudoso Pai.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

CARTA A JOSÉ!!!!

Caro José,
Mais uma vez te escrevo, não porque sejas importante, fundamental, irresistível ou mesmo decisivo. Não, não és nada disso. Nos meus textos gratuitos (sim...porque tu não gostas de pagar nada...) sempre manifestei o que verdadeiramente penso de ti. Mal...muito mal. Desiludiste-me, mentiste-me, enganaste meio-mundo lusitano e o pior, é que jamais reconheces. Que falta de virtude...porra!!!
Hoje, mais uma vez te vi, ao longo de uma penosa jornada nos écrans da SIC. Digo que te vi, e isso é verdade, mas não te ouvi. Não te ouvi porque não quis, porque recusei há já tempo, não mais te escutar.
Que seca!!! Que lenga-lenga, Zé...!!! Tu não mudas mesmo... pah!!!
Se bem me lembro, a última vez que te prestei atenção e não me arrependo, pois pelo menos posso hoje recordar-te o que de certo já esqueceste, juravas por todos os "santinhos" que, "Entre ti e o FMI havia dez milhões de Portugueses...".
Desculpa-me a linguagem,... porra!!! Mais uma Zé, caraças...não tens vergonha na cara!!! Mas que "ganda lata".
Bom, doravante e até ao 5 de Junho, para não te esqueceres, vou-te mandando umas letrinhas diáriamente, ou sempre que possível...está bem pah????. Ok.!!!
Ah já me esquecia...não vás para aí ficar todo contente...
Olha, como não te oiço desde aquele dia e não tenho saudades nenhumas, antes de me despedir, daquela forma fofa que se usa vulgarmente nas cartas, de... "um abraço"  "até sempre"..."até breve"..."saudades"...etc, queria dizer-te o seguinte...
ENTRE MIM E TI...SÓ HÁ, DEZ MILHÕES DE RAZÕES PARA NÃO QUERER MAIS NADA CONTIGO... razões de alma, de vergonha, de ética, de solidariedade...enfim de Honra.
ADEUS
António Ventura