sábado, 27 de outubro de 2012


A AMIZADE
Hoje, talvez com alguma razão, lembrei-me de escrever sobre a amizade. E, não sendo eu, pessoa de grandes tiradas filosóficas, pouco entendido em conhecimentos teosóficos, eis que lendo, lendo muito, me deparo com alguns conceitos e considerandos que quero partilhar.

“Sou um privilegiado por ser teu amigo”
(do actor Tarcísio Meira para o actor Tony Ramos).

Quanto aos conceitos, não serão dispensáveis os de Cícero, Epicuro, Pitágoras, Plutarco, Voltaire ou Aristóteles, sem esquecer os escritos bíblicos, não menos importantes. Mas ainda que deles prescindamos, sempre e cada um de nós entende, define e conhece o verdadeiro e comum sentido da Amizade.
O grego Epicuro, o grande filósofo da amizade, colocado no inferno como herege, na obra de Dante, entendia a amizade,  “De todos os bens que a sabedoria proporciona para produzir a felicidade por toda a vida, o maior, sem comparação, é a amizade”.
E adianta, “A mesma convicção que nos inspira a confiança de que nada existe de terrível que dure para sempre, nem mesmo por muito tempo, também nos habilita a ver que dentro dos limites da vida nada aumenta tanto a nossa segurança como a amizade”.
“O mundo inteiro oferece uma casa comum aos homens que amam a amizade: a Terra.”
“De todos os bens que a sabedoria nos faculta como meio de obter a nossa felicidade, o da amizade é de longe o maior”. (Epicuro, 341-270 a. C., Sentenças Principais)
Já o pensador russo Piotr Kropotkin, anarquista e um partidário da não-violência, entende que não foi a competição, mas sim a ajuda mútua, que possibilitou desde o início da vida a evolução das espécies. E sobre ajuda mútua, entendamos claramente, um dos pilares da amizade e no que entendemos dela neste nosso tempo. Na sua obra “Mutual Aid, a factor of evolution”,  Kropotkin, conclui que só a entre-ajuda  é factor da evolução humana. E não pensa mal, pois que ao longo de toda a existência humana se conclui que o conceito é milenarmente evidente.
É farta e diversa a apreciação Cristã da amizade.
Na Bíblia, o Eclesiástico refere - “… Um amigo fiel é um poderoso refúgio; quem o descobriu, descobriu um tesouro. Um amigo fiel não tem preço, é imponderável  o seu valor. Um amigo fiel é um bálsamo vital, e os que temem o Senhor o encontrarão. Aquele que teme ao Senhor faz amigos verdadeiros, pois tal como ele é, assim é seu amigo (6:13-17).”
Já na Teologia ascética, Tanquerey adjectiva o amigo verdadeiro como um “anjo consolador”: “... que escutará com simpatia a narração das nossas mágoas, e encontrará em seu coração as palavras necessárias para as mitigar e nos confortar” (Adolfo Tanquerey, Compêndio de Teologia Ascética e Mística, 598, b, 3).
E na Antiguidade, enquanto que Plutarco, destaca que os amigos quase sempre encobrem nossos erros, permite-nos concluir da nobreza da amizade. Mas nos “Versos de Ouro” de Pitágoras , este aponta a relação de firmeza com flexibilidade:  “Escolhe como amigo o mais sábio e virtuoso. Aproveita seus discursos inspiradores, e aprende com os seus actos úteis e virtuosos. Mas não afastes teu amigo por um pequeno erro, porque a força da vida é limitada pela necessidade.”
E de Terêncio (Publius Terentius Afer, 159 a.C.), retiraremos, “Ao conquistares novos amigos, não te esqueças dos velhos”.
Mas hoje, mais de dois milénios passados, temos dificuldade em encontrar um amigo verdadeiro (ou talvez não!!??). O sistema sócio-político actual em que a competição entre todos os membros da sociedade, a vida quotidiana incentivadora do egoísmo, torna a construção de verdadeiras amizades, não direi impossível, mas de muita dificuldade. A crueldade da sociedade deste nosso tempo, a competição permanente entre os seus membros no sentido de cada vez ter mais, ter melhor, augurando e lutando por melhor status social, pensando no material como suprema ambição e realização pessoal extravagante, olvidando as razões morais, éticas e humanas, põem definivamente no caos a consecução de novas e verdadeiras amizades.
Contudo, seria… será talvez através da prática aplicada do conceito de Tanquerey,  - o verdadeiro amigo é um “anjo consolador”: “... que escutará com simpatia a narração das nossas mágoas, e encontrará em seu coração as palavras necessárias para as mitigar e nos confortar”, que os obstáculos da vida moderna permitirão a cada um, ultrapassá-los com sucesso.
Faz tempo que me debrucei sobre a Ética. Ali, comentei bastamente também, as profundas reflexões Aristótelianas sobre a amizade e o seu sentido na existência humana. E essa análise foi muito bem descrita na “Ética a Nicómaco” (350 a.C.):
“Na pobreza como no infortúnio, os homens encontram o seu único refúgio nos amigos”.
“A amizade é uma virtude, e é a coisa mais necessária à vida”.
“Sem amigos ninguém escolheria viver, ainda que houvesse outros bens”.
E ainda,  “Dois amigos são uma mesma alma vivendo em dois corpos”, de Aristóteles, citado por Diógenes Laércio em “Lives of Eminent Philosophers”.
Voltaire (1978), define a amizade como um vínculo criado entre pessoas boas, éticas, já que os maus jamais tendem a ter cúmplices para suas atividades ilícitas.
Terminar com tristeza a nossa existência, sem haver possuído o maior tesouro da vida – a Amizade – leva-me hoje a Victor Hugo (1802-1885),

“O inferno está todo na palavra solidão”.



António Ventura-2012-Outubro- “A amizade”



quinta-feira, 25 de outubro de 2012


Caro Francisco Louçã
Como é possível que a sua decisão hoje tornada pública me tenha levado a uma tristeza de quem se sente mais pobre??!!
Nunca tive a oportunidade de lhe expressar directamente o meu apreço. Também, nunca o manifestei nestas "redes", mas nunca o evitei junto de amigos com quem venho há muito, muitos anos debatendo e criticando este "estado crítico" a que nos fizeram chegar.
Nos meus já longos anos, nos poucos votos que introduzi nas urnas das mesas de voto, apenas um houve que por convicção e consciência o lá meti por si. Sem nenhum constrangimento, nem dúvida que jamais me arrependerei. Foi sim, com vontade, com a certeza que estava a fazer o melhor.
Nunca fui filiado em nenhum partido político, mas a minha opinião política, social e humana não a prescindo a nenhum título. Somos parecidos nesta última parte.
Sei bem a que dedicou grande parte da sua vida pública. Tenho a certeza que os motivos são aqueles que também eu próprio comungo.
Não me apetece nada despedir-me de si...
Não me agrada nada, que o País o perca do nosso dia a dia de luta pelo que é justo. Você, representa mais do que alguma vez lhe disseram ou imaginou. Falou, lutou, defendeu muito especialmente aqueles que não têm nem nunca tiveram possibilidade de se fazer ouvir.
É por isso que agora, em vez de me despedir, lhe agradeço e lhe peço que continue na sua luta, na nossa luta.
Convenhamos que perder agora pela segunda vez, é coisa que não nos agrada nada. Há tão pouco tempo que nos deixou o Miguel Portas que tanta falta nos fazia. E agora você !!!
Bem, encontramo-nos certamente em breve.
Um abraço de solidariedade e de obrigado.
Julgo bem que esta minha mensagem, será... seria igual a tantas outras que tantos milhares dos nossos concidadãos lhe enviariam hoje se pudessem. Infelizmente, esses, alguns, não têm voz e tanto que você lutou por isso...
Um abraço
António Ventura

sexta-feira, 12 de outubro de 2012


OBRIGADO ALFRED NOBEL. Tack Thorbjørn Jagland


Agradecimento:



Em meu nome pessoal, agradeço com humildade ao Comité Nobel, a co-atribuição do prémio Nobel da Paz 2012 a mim próprio e aos meus 500 milhões de concidadãos europeus. A atribuição à União Europeia (leia-se, cidadãos da U.E.) na qual nos integramos, como motor da nossa união, organização económica (apenas), pelos cidadãos criada e governada supostamente pelos seus representantes, pelo nosso contributo colectivo para a paz e a reconciliação, a democracia e os direitos humanos, é por demais merecido. Obrigado portanto à Norwegian Nobel Committee, por tão elevado e honroso prémio.

Poderemos agora, conjunta e cada um individualmente, ombrearmos e comungarmos o nosso orgulho com os Grandes, talvez os maiores deste mundo global sem rumo nem desígnio. Porque estamos agora "entre iguais". Curvemo-nos então, honrando os nossos antecessores mais recentes, dos quais, alguns destacaremos aqui, Nelson Mandela, Aung San Suu Kyi, Muhammad Yunus e Liu Xiaobo.

É bem verdade, como referem que, "A união e os seus precursores têm contribuído, há mais de seis décadas, para o avanço da paz e da reconciliação, da democracia e dos direitos humanos na Europa". Mas não é menos verdade que, nós, os 500 Milhões de premiados de hoje, nos encontramos hoje sitiados no nosso próprio Continente, pelas "forças do mal", por uma nomenklatura que se apropriou do poder e dos destinos de todos nós, se instalou no centro do nosso espaço geo-político, usufruindo, desfrutando do "bem" que nós, na nossa União (U.E.) criámos com trabalho, esforço e dedicação à causa europeia que nos acenaram como se se tratasse do novo Paraíso na terra. E sem qualquer representatividade democrática, e que em breve, esperamos, teremos de erradicar do nosso espaço comum, de paz, progresso, cultura e felicidade comum. 

Contentemo-nos e regozijemo-nos hoje com o Prémio Nobel da Paz 2012, atribuído aos Cidadãos Europeus.

Agradecemos conjuntamente o valor financeiro do prémio, o qual, como noutros casos de atribuição colectiva, será dividido pelos galardoados. Assim deve ser. Assim justificaremos a solidariedade, a sã actuação democrática, o sentido pacífico do Prémio e da sua aplicação.


Compromisso
Caríssimo secretário do Comité Nobel Norueguês, Thorbjørn Jagland, 

Em cumprimento das normas conhecidas para recebimento do Prémio, os galardoados (Os 500 Milhões de Cidadãos Europeus), por não terem confiança nas instituições da U.E. que só aparentemente os representam, comprometem-se perante o Comité Nobel, a deslocarem-se a Estocolmo em data concreta a designar por Vossas Excelências, mas seguramente no próximo mês de Dezembro, para na cerimónia de entrega poderem ter a oportunidade de agradecer individualmente e proferirem os discursos na qualidade de premiados. Os cidadãos europeus, ora premiados, solicitam ao Comité e aos ilustres convidados aí presentes que, usem da maior paciência e boa vontade enquanto que, certamente apenas alguns dos galardoados apenas, tomarem a palavra e discursarão nas suas línguas de origem.

O teor das intervenções a produzir, serão entregues ao Comité prèviamente, afim de ficar claro que os cidadãos proferentes, ao denominarem "ladrões, gatunos, corruptos, cínicos, chulos ou outros adjectivos menos apropriados" identificam assim e apenas, a grande maioria dos seus desGovernantes, membros não representativos, mas integrantes da Nomenklatura Bruxeliana, em que não confiam.

Senhor Secretário do Comité Nobel

Os galardoados com o 2012 Peace Nobel Prize, vão reunir próximamente através das redes sociais na U.E., afim de cada um, decidir qual o destino que pretende dar à sua parte do Prémio - € 983.000,00 / 500.000.000 (cidadãos premiados - unidos na chamada U.E.) = € 0,001966.

Pelas razões que se extraem do presente, solicitam a Vossas Excelências que em nenhuma circunstância, façam entrega do prémio, a pessoas que eventualmente se arroguem do direito de representação dos cidadãos europeus agora premiados.

Note Senhor Secretário do Comité Nobel que, em nenhuma circunstância ou "acordos", ou eleições ou Tratados, os cidadãos europeus conferiram mandato para o recebimento de prémios internacionais ou outros. Para além disso, os eventuais personagens que tentarão por certo "receber" o prémio em nome dos cidadãos da Europa, não são de todo de confiança...

Com os melhores cumprimentos.

Cidadãos da U.E.
2012 Peace Nobel Prize



quarta-feira, 8 de agosto de 2012


UMA BELA MANHÃ EM CASCAIS
UMA VISÃO QUE NEM SEI COMO ADJECTIVAR
A P.S.P. NO SEU MELHOR

Inesperadamente, passeando-me pela Marginal, frente ao Hotel Miragem bem perto do centro de Cascais, pego na minha câmera fotográfica para recordar mais tarde a bela manhã de Sol e a bonita baía, e de entre os vários “bonecos”, eis que me surge esta bela foto.
Exactamente o que estás a pensar!
O carro descaracterizado da PSP Divisão de Trânsito de Cascais, com os equipamentos electrónicos todos apontados, em mais uma sessão de controle de circulação…
Controle, queria eu dizer. Mas não, era de facto a “facturação” que estava em causa. E também, não de forma pedagógica como seria de esperar e devido, mas apenas perfilados sobre o passeio (proibidíssimo mesmo para as Autoridades), impedindo a circulação de peões.
No caso presente, apresso-me a dar os parabéns à insigne Brigada ou Agrupamento, ou Destacamento, ou Grupo ou lá o que seja, de tão zelosa atitude.
De facto, estes Senhores não incomodaram nada a circulação de peões. Não molestaram a senhora que, poucos minutos antes das 9h30 desta manhã, com o carrinho de bébé, passeava no referido passeio, gozando os favores do clima, da paisagem e da paz matinal. Claro que não incomodaram ninguém!!!
Aliás, a senhora de que vos falo, até passou perfeitamente. Não pelo passeio, claro, bloqueado que estava totalmente pelo 91-09-PA. Desceu o passeio com cuidado, o bébé balançou e talvez tenha adormecido e na maior segurança, contornou o Autoritário Veículo circulando na faixa de rodagem, regressando (subindo) de novo o passeio e prosseguindo então nos prazeres da sua matinal passeata.
Nada de mal, portanto !!!
Os turistas que tanta falta nos fazem, tudo “miravam” do outro lado da estrada, pois que na porta do Miragem Hotel se encontravam.
Falavam “estrangeiro”(não entendo línguas infelizmente), apontando em frente, talvez mesmo com algum entusiasmo. Acho que até se divertiam… no meu fraco “estrangeiro”… disse-lhes que África… é um pouco mais a Sul.
Devia ser certamente para a paisagem e para a luminosidade da baía de Cascais, nesta bela manhã de Agosto de 2012.
OU TALVEZ NÃO !!!
António Ventura
(O autor, não subscreveu os acordos ortográficos. A sua identificação completíssima será fornecida de imediato a pedido expresso. O autor, ex-combatente, reserva-se o direito de conservar, garantir e fazer assegurar o seu estatuto de homem livre).

segunda-feira, 18 de junho de 2012

MEU CARO ALEXIS TSIPRAS - Αγαπητέ μου Αλέξη Τσίπρα

Lamentàvelmente, não conseguiste.... mas foi por pouco eu bem sei.
Desta vez a tua luta foi mesmo contra "Gregos e Bruxelianos" que não se pouparam em chantagear os teus sofridos concidadãos, praguejando de Berlim e de Bruxelas que trazias o "Diabo no Corpo", ou coisa que o valha. 
E se o digo assim, é porque acho ser a verdade. A tua luta contra Gregos foi dura, fazendo-os abrir os olhos, vendo a verdade nua que tantos e durante tanto tempo lhe têm ocultado, aqueles que tão bem adjectivaste de ladrões quando de forma franca garantiste que " há trinta anos que vêm pilhando a Grécia " . Alguns não perceberam e fugiram assustados como se vissem o "bicho mau", e o bicho eras tu próprio que garantias dar-lhe luta, defendendo os teus iguais, afastando-te dos pilantras que há tantos anos vêm sugando o resto que sobra da tua pobre Grécia.
Lutaste contra os "Bruxelianos", porque, acoitados nos seus sumptuosos gabinetes desta grande e promissora Europa, não querem que uma qualquer "maçã-podre" lhes estrague os tachos e a continuidade do saque, da mentira, da incúria, do desgoverno, da insensatez, da desonra, da falta de solidariedade com os cidadãos da Europa deles, que segue sempre em frente sem eles. Não consentiriam jamais que aparecesse alguém a dar-lhes luta, a impor-lhes ordem, bom-senso, solidariedade, progresso e boa governação... afinal tudo em prol dos "europeus".
Por isso, desataram num frenesim de calúnias, de ameaças, de chantagem contra o teu Povo, praguejando cobras e lagartos que fariam e não fariam e impunham e prendiam, que sitiavam a Grécia e não mais se moveria... e por aí adiante...
Mas meu caro Engenheiro Alexis Tsipras, ( e tu não és produto daquela nossa grande Escola-Fábrica de produzir Engenheiros e Doutores de má memória, a UNI também conhecida por Universidade Independente e por isso mesmo, por ser independente, não tem satisfações nem contas a prestar pela exagerada produção de canudos ) não lograste chegar ao lugar de lhes bater o pé e por isso, eu como tantos milhões dos teus compatriotas felicito-te pela seriedade da tua pronta resposta, logo a seguir aos resultados "à boca das urnas" - O SYRIZA será Oposição !
O teu abnegado esforço não foi recompensado, eu sei. Também nenhuma conclusão se retira do "nobre acto" que mobilizou tantos Gregos durante o dia de hoje. Infelizmente!!!
Amanhã recomeça em Atenas a bagunça do "forma Governo", "não forma Governo" e como sempre haverá apêndice para "ajudar", isto é para completar a Coligação e continuar a "dança" - Foste tu meu Caro Alexis, que bem o disseste - " há trinta anos que vêm pilhando a Grécia ".  E muito provàvelmente irão continuar.
Mas fica sabendo que aqui tens alguns amigos que te compreendem, com experiencia dessas coisas todas com que tu te insurges. Que coincidência, trinta anos... Trinta anos a pilhar... (será que me estou a lembrar de alguma coisa???).
Meu bom Alexis, agora concluo que tão parecidos nós somos... "mandriões", "gastadores", "improdutivos" e  afinal e para cúmulo até nos trinta anos temos semelhança. Só que os pilantras, ou melhor dizendo, os "pilhos" foram outros é bem certo, mas afinal dá no mesmo. Acho que até são parentes...
E cá andamos à espera do cheiro ou das raspas de um qualquer pedaço de "Eisbein", ou apenas um odor de suor de uma qualquer vaca "Gelbvieh".
Desejo-te felicidades. Se vires o Zorba, dá-lhe um abraço meu, carinhoso, solidário, são, amigo e já agora ... "europeu" ! Tenho muitas e boas recordações dele.
Μια αγκαλιά και σας δούμε σύντομα
António Ventura

domingo, 17 de junho de 2012





CRISE?    ( vale a pena )  ... e todos culpam o actual governo !.... 

  

Sobre a retirada de subsídios de Férias e Natal :

 
- Querem o vosso subsídio?
MAS ANTES DE LEREM O QUE SE SEGUE SOBRE O FUGITIVO DE PARIS, DESCONTEM OS LUCROS FABULOSOS OBTIDOS COM O AEROPORTO DE BEJA QUE TANTO TEM DESENVOLVIDO O ALENTEJO

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 90.000 milhões de euros que aumentou na dívida pública entre 2005 e 2010.

 
...  Peçam ao fugitivo de Paris, que decidiu nacionalizar o BPN, colocando-o às costas do contribuinte, aumentando o seu buraco em 4.300 milhões em 2 anos, e fornecendo ainda mais 4.000 milhões em avales da CGD que irão provavelmente aumentar a conta final para perto de 8.000 milhões, depois de ter garantido que não nos ia custar um euro.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 695 milhões de derrapagens nas PPPs só em 2011.

... Peçam ao fugitivo de Paris, que graças à sua brilhante PPP fez aumentar o custo do Campus da Justiça de 52 para 235 milhões.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 300 milhões que um banco público emprestou a um amigo do partido para comprar acções de um banco privado rival, que agora valem pouco mais que zero.    ..

 
......................  Quem paga?  O contribuinte!!

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 450 milhões injectados no BPP para pagar os salários dos administradores.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 587 milhões que gastou no OE de 2011 em atrasos e erros de projecto nas SCUTs Norte.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 200 milhões de euros que ?desapareceram?entre a proposta e o contrato da Auto-estrada do Douro Interior.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 5.800 milhões em impostos que anulou ou deixou prescrever.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 7.200 milhões de fundos europeus que perdemos pela incapacidade do governo de programar o seu uso.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 360 milhões que enterrou em empresas que prometeu extinguir.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris para cancelar os 60.000 milhões que contratou de PPPs até 2040.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris, que usou as vossas reformas para financiar a dívida de SCUTs e PPPs.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris para devolver os 14.000 milhões que deu de mão beijada aos concessionários das SCUTs na última renegociação.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 400 milhões de euros de agravamento do passivo da Estradas de Portugal em 2009.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 270 milhões que deu às fundações em apenas dois anos.

 
... Peçam ao fugitivo de Paris os 3.900 milhões que pagou em rendas excessivas à EDP tirados à força da vossa factura da electricidade.

 
... Peçam aos partidos políticos que ajudaram o PS a aprovar um TGV que já nos custou 300 milhões só em papelada, e vai custar outro tanto em indemnizações.

E as coisas mais pequenas aquelas que são trocos....... mas que perfazem ..... daria para dar de comer a tanta gente. 



RECEBI ESTE TEXTO DE UM AMIGO  (RCS)

sexta-feira, 4 de maio de 2012

PÁTRIA MATER


O sonho esfumou-se
A vida se acaba
Não vale mais nada
Já não há valor


A Pátria acabada
Esqueceu-se da vida
Não vale mais nada
Perdeu o amor


Destino marcado
Nação destemida
Não vale mais nada
Povo sem fulgor


A alma dorida 
A vida acabada
Pátria emudecida
Quase no estertor


Povo enaltecido
Tanta e tantas vezes
Ganhou... foi vencido
Já não tem valor


Poesias, António Ventura 2012

terça-feira, 10 de abril de 2012

A POLÍTICA DO FUTEBOLÊS OU O FUTEBOL DO POLITIQUÊS

Foi com grande alegria que regressei agora de Alvalade, depois de assistir a um grandioso jogo de futebol que culminou com a vitória mais que merecida do meu Sporting Clube de Portugal. No regresso e em solitária meditação, fazendo uma apreciação retrospectiva do desafio e especialmente e da actuação do sr Árbitro, concluí o seguinte - O senhor Artur Soares Dias é um bacoco, imbecil, incompetente, petulante, pretensioso, distraído e muitas outras coisas mais... az certamente parte de um "Bandozito" de pretensiosos que agora ameaçam fazer greve, e não apitar...como se a sua classe estivesse cheia de honradez e ética, moral, cívica e até desportiva... Mas não!!! De facto, esta classe que se pretende fazer de impoluta, é tão só e apenas, o grupelho que ainda há pouco tempo teve um ror de acusações de corrupção, poucas-vergonhas, com chá, alternos, putas e €quejandos$... Não, não são de facto nada de especial. São"normais", é o que é!!! Afinal não são mais nem menos do que o mesmo bando de "grandes e ilustres comentadores"... pobres de espírito mas ganhadores de euros que pululam diáriamente pelas nossas TV´s e Rádios. Há aí um bando de umas centenas de energúmenos de gravata e grandes poses, de grandes tiradas "filosófico-futebolísticas" que francamente me metem nojo...todos mesmo todos. Até e sobretudo os que coabitam nesta "arte" e se prostituem simultâneamente na política, nas autarquias, nos lugares pagos por todos nós... Que nojo !!!