sexta-feira, 18 de março de 2011

O SISMO OU A SORTE DE KADHAFI...OU O CINISMO EUROPEU

ESTA EUROPA... NÃO SE MANCA MESMO!!!
A tragédia que abalou o Japão e que vai afectar económicamente o planeta, assim como a iminência dos perigos decorrentes da situação da central nuclear de Tukushima, mas especialmente os mais de 6.000 mortos já identificados e os que se seguirão, no apuramento final com ainda mais de 10.000 desaparecidos, estranhamente beneficiou Kadhafi. Poderá parecer um profundo e perigoso disperate, tal conclusão, mas se embora a "tradição já não seja o que era", o facto é que, Muahmar el Gadhafi, onde toca faz morte e destruição. Estava todo o planeta atento às manobras e mentiras do Grande Líder da Revolução Verde, esperando que o seu fim não tardasse. Esperando que o petróleo apenas mudasse de mãos e fosse bom recomeçar um novo ciclo, eis que a natureza fez das suas. Com uma potência extraordinária de cerca de 8º eis que a terra treme no mar do Império do Sol Nascente,  invade a terra criando destruição e morte. Fruto do seu progresso, a energia nuclear faz parte do Japão. Com ela convive toda a sociedade japonesa e dela vive e com ela cresce económicamente. O perigo  e o medo das fugas radioactivas de Tukushima, trazem aos súbditos pela primeira vez em muitas décadas, a imagem televisiva e as palavras de Akihito, o Imperador.
Poderia continuar aqui a escrever sobre tão medonha e preocupante tragédia. Se o fizesse, teria óbviamente que alterar o título desta pequena crónica de opinião. 
De facto, enquanto o Mundo se comove com as notícias do sismo japonês, o líder Libyo avança na recuperação do seu poder de mais de 40 anos, recebe os beijos dos seus seguidores, promove as manifestações em seu favor, recruta mercenários e paga-lhes em dólares ou euros (porque já não há francos franceses, ou liras italianas) e envia-os para matar o seu Povo, com o equipamento bélico que acumulou durante anos, mesmo quando lho vendiam e por trás o apelidavam de "beduíno terrorista".
A marcha final da Segunda Revolução Verde, às portas de Benghazi, onde certamente se concluirá a matança e o genocídio final, estará para breve. à hora a que escrevo estas linhas já há a notícia de que, será esta noite o assalto final à segunda cidade da nossa amiga e carismática Libya e berço e túmulo do não menos terrorista e, depois carismático e, depois criminoso de guerra, Grande Líder Fraternal e Guia da Revolução Libya... e em breve, de novo carismático e amigo da Europa e do Mundo Livre.
Mas o "carismático" representante do "pan-islamismo", conhece bem o cinismo dos grandes líderes do seu tempo que já vai longo. Todos já tomaram chá nas suas tendas... a todos recebeu com o "afwan" querendo dizer-lhes "you're welcome", sabendo bem que em breve, todos voltarão, penitenciando-se de tanta "asneira" dita e jurando fidelidade eterna à "Great Socialist People's Libyan Arab Jamahiriya".
Mas esta Europa, como diria o meu jovem filho... "não se manca, mesmo!!!". 
Não sei traduzir esta frase do nosso moderno "português", para a língua de Voltaire, Rousseau ou Montesquieu. Três anos de Instituto Italiano, na já longínqua juventude, não me permitem recordar tradução adequada para a língua de Vicenzo Gioberti.
Porém, em português, minha muito querida língua mater,  não a banalizando, porque não é meu costume, fico-me igualmente pela ignorância da incapacidade de tradução - ESTA EUROPA... NÃO SE MANCA MESMO!!!
Rebuscando na Ética, recentemente reaprendida com o distinto Prof. Cassiano Reimão, encontrei que, "a partir de Sócrates (470 a.C-399 a.C.), a filosofia passa a ocupar-se de problemas relativos ao valor da vida, ou seja, das virtudes". 
Muammar Abu Minyar al-Gaddafi, estará a esta hora, muito provávelmente a descarregar veneno sobre Benghazi. Em breve, estará de novo pronto para fazer negócios!!!
Com todos os seus amigos, penitenciados, mentirosos, cínicos, falsos, ambiciosos, traficantes e muitos, muitos políticos no activo e em processo demissionário, mas arrependidos e sempre cínicos.
Kadhafi, não deve ter ainda conhecimento do sismo de Miyagi. Em Miyagi e no resto das provincias japonesas, contam-se os mortos quando se encontram. Kadhafi... talvez os mande contar no fim.
Falta-me saber se em breve irá voltar a beber-se chá, na tenda beduína, e se o dono receberá os visitantes, de Lisboa, Paris, Roma ou Londres com o tradicional "assalamu-alaikum", que será o mesmo dizer... que a paz esteja sobre vós.
E o cinismo Europeu a tudo assistirá, com o sorriso de quem só quer mais uns barris....