sexta-feira, 12 de outubro de 2012


OBRIGADO ALFRED NOBEL. Tack Thorbjørn Jagland


Agradecimento:



Em meu nome pessoal, agradeço com humildade ao Comité Nobel, a co-atribuição do prémio Nobel da Paz 2012 a mim próprio e aos meus 500 milhões de concidadãos europeus. A atribuição à União Europeia (leia-se, cidadãos da U.E.) na qual nos integramos, como motor da nossa união, organização económica (apenas), pelos cidadãos criada e governada supostamente pelos seus representantes, pelo nosso contributo colectivo para a paz e a reconciliação, a democracia e os direitos humanos, é por demais merecido. Obrigado portanto à Norwegian Nobel Committee, por tão elevado e honroso prémio.

Poderemos agora, conjunta e cada um individualmente, ombrearmos e comungarmos o nosso orgulho com os Grandes, talvez os maiores deste mundo global sem rumo nem desígnio. Porque estamos agora "entre iguais". Curvemo-nos então, honrando os nossos antecessores mais recentes, dos quais, alguns destacaremos aqui, Nelson Mandela, Aung San Suu Kyi, Muhammad Yunus e Liu Xiaobo.

É bem verdade, como referem que, "A união e os seus precursores têm contribuído, há mais de seis décadas, para o avanço da paz e da reconciliação, da democracia e dos direitos humanos na Europa". Mas não é menos verdade que, nós, os 500 Milhões de premiados de hoje, nos encontramos hoje sitiados no nosso próprio Continente, pelas "forças do mal", por uma nomenklatura que se apropriou do poder e dos destinos de todos nós, se instalou no centro do nosso espaço geo-político, usufruindo, desfrutando do "bem" que nós, na nossa União (U.E.) criámos com trabalho, esforço e dedicação à causa europeia que nos acenaram como se se tratasse do novo Paraíso na terra. E sem qualquer representatividade democrática, e que em breve, esperamos, teremos de erradicar do nosso espaço comum, de paz, progresso, cultura e felicidade comum. 

Contentemo-nos e regozijemo-nos hoje com o Prémio Nobel da Paz 2012, atribuído aos Cidadãos Europeus.

Agradecemos conjuntamente o valor financeiro do prémio, o qual, como noutros casos de atribuição colectiva, será dividido pelos galardoados. Assim deve ser. Assim justificaremos a solidariedade, a sã actuação democrática, o sentido pacífico do Prémio e da sua aplicação.


Compromisso
Caríssimo secretário do Comité Nobel Norueguês, Thorbjørn Jagland, 

Em cumprimento das normas conhecidas para recebimento do Prémio, os galardoados (Os 500 Milhões de Cidadãos Europeus), por não terem confiança nas instituições da U.E. que só aparentemente os representam, comprometem-se perante o Comité Nobel, a deslocarem-se a Estocolmo em data concreta a designar por Vossas Excelências, mas seguramente no próximo mês de Dezembro, para na cerimónia de entrega poderem ter a oportunidade de agradecer individualmente e proferirem os discursos na qualidade de premiados. Os cidadãos europeus, ora premiados, solicitam ao Comité e aos ilustres convidados aí presentes que, usem da maior paciência e boa vontade enquanto que, certamente apenas alguns dos galardoados apenas, tomarem a palavra e discursarão nas suas línguas de origem.

O teor das intervenções a produzir, serão entregues ao Comité prèviamente, afim de ficar claro que os cidadãos proferentes, ao denominarem "ladrões, gatunos, corruptos, cínicos, chulos ou outros adjectivos menos apropriados" identificam assim e apenas, a grande maioria dos seus desGovernantes, membros não representativos, mas integrantes da Nomenklatura Bruxeliana, em que não confiam.

Senhor Secretário do Comité Nobel

Os galardoados com o 2012 Peace Nobel Prize, vão reunir próximamente através das redes sociais na U.E., afim de cada um, decidir qual o destino que pretende dar à sua parte do Prémio - € 983.000,00 / 500.000.000 (cidadãos premiados - unidos na chamada U.E.) = € 0,001966.

Pelas razões que se extraem do presente, solicitam a Vossas Excelências que em nenhuma circunstância, façam entrega do prémio, a pessoas que eventualmente se arroguem do direito de representação dos cidadãos europeus agora premiados.

Note Senhor Secretário do Comité Nobel que, em nenhuma circunstância ou "acordos", ou eleições ou Tratados, os cidadãos europeus conferiram mandato para o recebimento de prémios internacionais ou outros. Para além disso, os eventuais personagens que tentarão por certo "receber" o prémio em nome dos cidadãos da Europa, não são de todo de confiança...

Com os melhores cumprimentos.

Cidadãos da U.E.
2012 Peace Nobel Prize



1 comentário:

Jonas disse...

Subscrevo integralmente
O requerimento em questão,
Dando o prémio a certa gente
Ninguém mais vê um tostão!