sexta-feira, 4 de maio de 2012

PÁTRIA MATER


O sonho esfumou-se
A vida se acaba
Não vale mais nada
Já não há valor


A Pátria acabada
Esqueceu-se da vida
Não vale mais nada
Perdeu o amor


Destino marcado
Nação destemida
Não vale mais nada
Povo sem fulgor


A alma dorida 
A vida acabada
Pátria emudecida
Quase no estertor


Povo enaltecido
Tanta e tantas vezes
Ganhou... foi vencido
Já não tem valor


Poesias, António Ventura 2012

Sem comentários: